Beacons: entenda o que são esses dispositivos, como funcionam e o que são capazes de fazer para revolucionar o varejo tradicional.

A evolução da tecnologia e a consequente popularização do mundo virtual fizeram com que o varejo se expandisse para o meio online, criando os e-commerces. Começaram a surgir novos padrões de consumo e eles foram ficando cada vez mais fáceis de serem medidos e estudados, graças ao mapeamento automático feito por máquinas e identificadores digitais.

Nesse sentido, o e-commerce ficou em vantagem em relação ao comércio tradicional, pois é mais fácil de saber o perfil do seu cliente, o que eles mais buscam, o que mais gostam, etc. A partir disso, é possível oferecer um serviço mais personalizado, com produtos, ofertas e anúncios mais direcionados e assertivos.

Com o rastreamento e cruzamentos de dados, máquinas já identificam quem é cada usuário, quais os seus gostos e preferências, o que você ele comprou, qual seu tamanho de roupa veste, etc. Esse trabalho de identificar, rastrear e criar esse perfil dos usuários é feito por DMPs, como o Boostbox.

E como fica o varejo físico nisso?

Buscando trazer esse tipo de mapeamento e proximidade com os clientes para as lojas físicas, os Beacons entram em cena.

Os Beacons são basicamente ferramentas de integração do mundo online com o offline. Como no e-commerce e m-commerce, será possível conhecer melhor os clientes da sua loja, como eles se comportam nesse ambiente e ainda poder interagir com eles com intermediação dos celulares.

Mas como os Beacons funcionam?

Os Beacons são pequenos dispositivos que funcionam à bateria e enviam sinais de Bluetooth de curto alcance, chamados BLE – Bluetooth Low Energy. Esse tipo de sinal utiliza 16 vezes menos bateria. E eles não precisam de pareamento para se comunicarem com os dispositivos, como celulares. Isso acontece por que esse sinal emitido pelos Beacons se comunica com os SDKs que, basicamente, são Kits de integração instalados dentro de aplicativos ou sistemas operacionais.

E quais são as aplicações possíveis?

Através da geolocalização, eles vão saber quando o cliente está perto de você ou em que local do seu estabelecimento ele está. Assim, irão coletar e mensurar dados de comportamento dos seus clientes nas lojas físicas, além de permitirem uma comunicação com eles através de envio de notificações push com mensagens e/ou ofertas.

É possível calcular a quantidade de pessoas que entraram na loja, tempo de permanência nela, criar mapas de calor das áreas da loja mais visitadas, dentre outras funcionalidades. Dá até para medir a conversão da vitrine, ou seja, quantas pessoas pararam na vitrine para olhar e quantas delas entraram na loja.

Tudo isso para ajudar os lojistas a terem embasamento para entender qual a percepção dos seus clientes em relação ao seu estabelecimento e seus produtos. Dessa forma, fica mais fácil de buscar as melhores formas de atender às necessidades deles e de se comunicar, usando o push como canal.

 

Mapa de calor loja

Push notification

A princípio, para enviar um push através do Beacon, o usuário precisa ter o aplicativo da marca instalado no celular com o SDK configurado. Contudo, a Google lançou recentemente o Nearby que é uma forma de se comunicar com aparelhos baseados na proximidade, sem necessariamente ter um app instalado. Ele funciona principalmente em Androids – plataforma mais usada no mundo – que já vem com a conexão configurada nos celulares e a única exigência é que a pessoa esteja com o celular dentro do raio de abrangência do Beacon.

O Mobfiq testou essa tecnologia no Vtex Day, convidando as pessoas a conhecerem o estande montado no evento, onde era possível testar e fazer um demo de aplicativo de m-commerce, desenvolvido em 30 minutos. Os apps desenvolvidos pelo Mobfiq já vem com os SDKs para se conectarem com os Beacons.

Nos EUA, eles começaram a entrar no mercado em 2014 mas hoje já estão presentes em mais ou menos 85% das grandes redes de varejo. Aqui no Brasil, o uso dessa tecnologia ainda é um pouco tímido, mas tem crescido cada vez mais. As marcas estão bolando novas formas de exploração desse aparelhinho, uma mais criativa do que a outra.

A Magazine Luiza estreou recentemente testes em suas lojas usando essa tecnologia em que os clientes recebiam notificações push para baixarem o app da marca.

Seus usos vão além de só enviar uma oferta ou promoção e tem um valor que vai além do comercial. Eles são uma excelente oportunidade de se aproximar com o seu cliente e estreitar o relacionamento com ele.

Bconext e a revolução dos Beacons.

A Fulllab criou a Bconext que promete revolucionar completamente a experiência de compra dos usuários fora do mundo online. Unindo a tecnologia dos Beacons com o cruzamento de dados da DMP Boostbox, criamos uma solução perfeita para o varejo.

A ideia é transformar a interação dos Beacons em uma experiência hipersegmentada, uma vez que o Boostbox irá reconhecer cada usuário pelo seu ID do celular e assim saber quais os seus perfis de compra, o que buscam e o que tem.

Em outras palavras, o Beacon vai detectar quando um usuário entrou em seu campo, identificar o dispositivo, jogar esses dados para a DMP e ver quem é essa pessoa. Os dados são: nome, e-mail, compras já realizadas, páginas visitadas, preferências, enfim, todo o padrão de compras e buscas dessa pessoa, gerando um perfil desse usuário.

Push pelo Beacon

Como isso funciona na prática?

Imagina a seguinte situação: João está em casa buscando uma bermuda azul para comprar no site da loja de roupas LojaX mas acaba não finalizando a compra. Dias mais tarde, ele entra em um shopping que usa a solução da Bconext e segundos depois recebe uma mensagem dizendo que a LojaX no segundo piso está com aquela bermuda que ele está procurando com 5% de desconto.

João então vai na LojaX e o Beacon da entrada já identifica ele e envia para o celular do vendedor que quem entrou se chama João e está buscando uma bermuda azul. O vendedor irá atender ele já sabendo suas preferências, tamanho e quais outros produtos similares da loja podem interessar a ele. Além disso, os Beacons da loja farão todo o mapeamento e mensuração de comportamento de todos os clientes que entraram no estabelecimento.

Sem essa integração com a DMP, as lojas e shoppings enviam mensagens genéricas para todo mundo. Por exemplo, poderia chegar para o João uma mensagem ou conteúdo de uma loja de maquiagem que pode não interessar a ele.

Esses são só exemplos, mas na prática existem infinitas possibilidades de se comunicar e estar próximo dos clientes. A Bconext vai permitir a sua marca ter um relacionamento muito próximo com o seu cliente e entender muito mais como as suas lojas podem atender ele.