O mobile já é pauta dos e-commerces há algum tempo, mas nesse ano ele está entrando com força total! Só entre 2015 e 2016, o número de pessoas que compraram através de aplicativos mobile saltou de 41% para 71%! Além disso, a taxa de conversão em aplicativos mobile em comparação a sites responsivos é 8% maior. E é claro que as marcas que melhor surfaram nessa onda foram as que se preocuparam em diversificar seu canal de vendas dentro do universo mobile. Então, confira essas dicas para não perder a próxima grande onda!

 

1 | Entenda o mercado mobile

Mesmo que você não seja da área técnica, é importante que entenda minimamente o mercado no qual você está entrando. Assim, antes de se jogar de cabeça, procure entender os processos e as questões relacionadas à criação de um aplicativo.

Do desenvolvimento até o lançamento do seu app, você terá que passar por testes, inclusão e aprovação das lojas de apps (App Store e Google Play), etc. Vale a pesquisa com outros profissionais que já tenham passado por essa experiência, ainda que eles não atuem no mesmo segmento de mercado que você.

 

2 | Usabilidade e experiência do usuário (UX) em primeiro lugar

Muitos e-commerces procuram por projetos extremamente rebuscados, com um aplicativo mobile cheio de recursos, mas esquecem de avaliar ao certo se essas funcionalidades são tão relevantes assim para os usuários.

No mobile, o que vai determinar se o seu aplicativo vai ser ou não um sucesso é a sua usabilidade. Portanto, busque a simplicidade! Excessos podem prejudicar o seu projeto. Procure uma equipe que coloque a experiência do usuário em primeiro lugar, priorizando mais a usabilidade do que a quantidade de recursos. Seu aplicativo precisa ser bonito e fácil de usar!

3 | Prefira os aplicativos nativos

Nativos são os aplicativos desenvolvidos usando a linguagem específica de cada sistema operacional dos aparelhos. Ou seja, são feitos conforme a .
Além de diminuírem as chances de dar “crash” (quando o aplicativo para de funcionar e fecha sozinho), ele vai proporcionar uma melhor navegabilidade e experiência do usuário.
Para entender melhor o que é desenvolvimento nativo, híbrido e a diferença entre eles, leia esse artigo.

 

4 | Escolha um fornecedor de alta qualidade

Não contrate um amigo que você acha que sabe programar. Procure por uma empresa de tecnologia que tenha uma equipe mista, que inclua designers, desenvolvedores e gerentes experientes. Verifique também a credibilidade e o portfólio de apps desenvolvidos por ela. Se você realmente gostou do trabalho dessa empresa, as chances dela ser o fornecedor certo para o seu aplicativo mobile são muito boas.

Lembre-se de que o valor do serviço pode ser proporcional também ao valor do seu sucesso. Sabemos que muitas marcas do mercado de e-commerce estão sem recursos devido à crise e que existe ainda o medo de não se obter o retorno esperado. Mas o investimento é o primeiro passo para o retorno. Não economize para ter sucesso.

 

5 | Continue aprimorando e atualizando seu app

Uma pesquisa da BigData Corp. mostra que, quanto mais um aplicativo mobile é atualizado, mais ele é bem recebido. Apps como WhatsApp e Facebook são atualizados mensalmente, por exemplo. Assim como no seu e-commerce, o seu m-commerce também tem que estar em constante aprimoramento. Segundo o CEO da Fulllab, Marcelo Najnudel, um dos principais fatores para a desinstalação de apps é a falta de atualização e correção de bugs:

“No Mobfiq – nossa plataforma mobile nativa exclusiva para e-commerce- a atualização dos apps é feita em média de 15 em 15 dias. Nossos clientes não podem perder usuários, então não podemos deixar correções e melhorias de lado. No mercado de tecnologia, e principalmente mobile, temos que ter agilidade”

Por isso, ao contratar um fornecedor para desenvolver o seu aplicativo, é importante prever no contrato algumas horas de manutenção para garantir que problemas serão reparados e que melhorias estarão sempre em desenvolvimento.

6 | Invista na divulgação do seu aplicativo mobile

Se você quer que um grande número de pessoas use o seu app, ele precisa ser bem divulgado. Utilize os canais do seu e-commerce para atingir seu público-alvo: e-mail marketing, site, redes sociais… Não é à toa que elas são tão utilizadas pelas marcas: são a união perfeita entre baixo custo e grande poder de alcance. Porém, lembre-se de que qualquer ação exige estratégia e planejamento!

Além disso, busque mais o tráfego orgânico do que o inorgânico. Para isso, é importante entender como funcionam os algoritmos de ranqueamento (ranking) das app stores. Comece criando um bom texto de descrição para o seu app, que inclua palavras-chave e tags relacionadas ao seu segmento de mercado. Se você conquistar uma bom posicionamento no ranking para o seu aplicativo mobile, vai conseguir também instalações orgânicas e uma boa taxa de fidelização.

 

7 | Introduza gradativamente novas funcionalidades

Não se preocupe se o seu aplicativo mobile não foi lançado com todos os recursos que você desejava. Com recursos básicos você conseguirá lançar a primeira versão do seu app e medir a satisfação dos usuários com esse novo canal.

Feito isso, é chegado o momento de avaliar e incluir mais funcionalidades entre aquelas que ficaram de fora na versão inicial. Mudanças gradativas são melhor recebidas pelos usuários e o lançamento contínuo de novidades fará com que eles retornem sempre ao aplicativo para conferi-las.

 

8 | Desenvolva um aplicativo que ajude o seu cliente

Em geral, os aplicativos mobile são desenvolvidos com o intuito de aumentar as vendas. Porém, é possível desenvolver aplicativos focados para estágios mais iniciais da jornada de compras do cliente. Você não precisa ter funções voltadas para a venda de produtos, somente.

Explore a criatividade para desenvolver facilidades que sejam úteis para o seu cliente e o incentive a baixar o seu aplicativo. Nesse sentido, apps que ajudam o cliente ainda no estágio de descoberta e consciência podem viralizar rapidamente no mercado e demandar menor custo de divulgação.

Por exemplo, se você vende vinhos, que tal criar um aplicativo que combine o vinho com a comida? Se você é uma Petshop, você pode criar uma carteira de vacinação eletrônica.

Todos esses aplicativos, além de ajudar o cliente, já geram o primeiro contato com a sua marca. Quando o cliente começar o processo de decisão de compras, provavelmente ele irá considerar sua empresa.

 

9 | Métricas, métricas e mais métricas

O seu novo canal de vendas precisa ser acompanhado em todas as dimensões. Ferramentas de análise ajudam a mensurar a quantidade de downloads, o interesse por parte dos usuários e a taxa de retenção atingida por seu aplicativo.

Em primeiro lugar, busque entender como o usuário usa o seu app e configure um funil de ativação e conversão. Utilize ferramentas de mensuração, como o Google Analytics. Além da versão tradicional que você já utiliza no seu e-commerce, eles possuem uma versão específica para aplicativo mobile. Feito isso, você pode partir para o segundo passo, que é atribuir as ações de marketing voltadas para o app. Com ferramentas específicas, como Flurry e AppsFlyer, você resolve o mistério da atribuição e otimiza seus resultados. Entender esses dados é o básico para que seu app evolua.

10 | Antecipe-se ao cliente

A partir de um aplicativo podemos saber onde o cliente está, quais lojas ele mais frequenta, quais são os horários e outras dezenas de informações relevantes a respeito do comportamento do seu cliente.

De posse delas, você pode se antecipar gerando oportunidades de vendas. Por exemplo, se o cliente comprou uma bermuda e está em um shopping que tem uma loja física sua, que tal oferecer um desconto de 10% e convidá-lo a conhecer a loja? Simples, não?

 

Concluindo

Algumas dicas são sempre úteis antes de se começar algo novo. As que listamos aqui não precisam ser seguidas à risca, mas podem servir de guia e incentivo para você se organizar e criar o seu aplicativo mobile. Pode acreditar que 2017 é o ano para entrar nesse mercado com o pé direito! E se você ainda não está convencido de que o futuro do seu e-commerce é ser mobile, confira este outro artigo aqui.

A Fulllab é parceira da Vtex e pioneira no desenvolvimento de aplicativos nativos para e-commece no Brasil com a nossa plataforma Mobfiq.